Coronavírus: Como controlar o medo e a ansiedade.

Coronavírus: Como controlar o medo e a ansiedade.

A pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) está deixando muita gente com medo e ansiedade, e isso está afetando, consideravelmente, a saúde psicológica das pessoas em diversos países. É difícil manter a calma diante da incerteza, mas o importante nesses momentos é manter o pensamento positivo pelo seu próprio bem e pelo bem de quem você ama. Como psicólogo, aprendi que a ansiedade e o pânico surgem de pensamentos negativos que invadem nossa mente frente a situações difíceis, reais ou imaginárias. O segredo é prestar atenção ao que você está pensando e buscar um pensamento alternativo mais positivo frente a essa pandemia de coronavírus.  Abaixo, há uma lista com os sinais de alerta para que você observe se está na hora de mudar seus pensamentos e comportamentos frente a essa pandemia. Algumas dicas também podem te ajudar no enfrentamento desse mal-estar psicológico desencadeado por toda situação de incerteza que vivemos hoje. 

Sinais de alerta:

Se você não foi infectado(a) pela Covid-19, mas está tendo os sintomas abaixo, de forma intensa ou persistente, fique atento(a):

  • Está constantemente nervoso(a), agitado(a), tenso(a), com medo, estresse, ansiedade, pânico generalizado ou com uma sensação de perigo iminente;
  • Não consegue parar de pensar em outra coisa que não seja o coronavírus ou que vai ficar doente;
  • Precisa estar permanentemente vendo e ouvindo informações sobre a pandemia;
  • Tem dificuldade em se concentrar ou não se interessa por outros assuntos;
  • Tem dificuldade em fazer as tarefas diárias ou fazer o seu trabalho corretamente; o medo te paralisa e te impede de sair;
  • Está em alerta, analisando as suas sensações corporais e interpretando como sintomas de doença, mesmo estando tudo normal com você;
  • Tem dificuldade de controlar sua preocupação e pergunta constantemente aos membros da família sobre o estado de saúde deles, alertando sobre os perigos que correm toda vez que saem de casa;
  • Sente o coração batendo mais forte, a respiração rápida, tremores ou suor frio sem nenhuma causa aparente;
  • Têm problema para dormir.

Se você percebeu pelo menos dois dos sintomas anteriores e não pertence ao grupo de risco, fique atento, isso pode ser um quadro de ansiedade. Abaixo, seguem dicas de como lidar com essa situação.

Se você não pertence ao grupo de risco:

  • Distraia sua cabeça com coisas que você goste de fazer;
  • Evite o excesso de informações, estar permanentemente conectado não vai te tornar mais bem informado e poderá aumentar desnecessariamente a sua ansiedade;
  • Ao ver uma notícia alarmista sobre o coronavírus, procure evidências da realidade e dados confiáveis. Conhecer os fatos e os dados ​​oferecidos pelo Ministério da Saúde e pelo meio científico evita o pânico e a propagação das Fake News.
  • Repasse informações aos seus amigos e parentes maneira realista. Cuidado com a informação que você republica sem consultar a fonte, não alimente o medo dos outros;
  • Identifique os pensamentos que estão causando desconforto e tente colocar um pensamento positivo no lugar. Por exemplo: “Já estão testando vacinas e remédios para curar essa doença. Milhões de pessoas já se curaram”.  Pensar constantemente sobre a parte ruim da doença pode causar o aparecimento ou aumento de sintomas de ansiedade;
  • Reconheça as emoções que você está sentindo e aceite. Se necessário, compartilhe essa situação com alguém próximo como um familiar ou amigo;
  • Mantenha uma atitude otimista e objetiva;
  • Tenha hábitos adequados de higiene e prevenção recomendados pelas autoridades de saúde, busque sempre lavar as mãos com água e sabão e quando não for possível, utilize o álcool gel.
  • Mantenha sua fé e suas atividades religiosas e/ou espirituais, caso elas façam parte da sua rotina, também é importante para sua saúde mental. Mas neste momento, elas precisam ser mantidas longe de aglomerados e espaços fechados. Amar ao próximo é também cuidar da sua saúde e bem estar coletivo.
  • Evite falar sobre a pandemia frequentemente;
  • Apoie-se em sua família e amigos;
  • Ajude sua família e amigos a manterem a calma;
  • Tente viver uma vida normal, dentro do possível.
  • Se necessário, entre em contato com um psicólogo para encontrar a ajuda especializada.

Se você pertence ao grupo risco:

  • Siga todas as dicas anteriores;
  • Siga as recomendações e medidas preventivas determinadas pelas autoridades de saúde, como o Ministério da Saúde;
  • Não subestime o risco do coronavírus, mas tente evitar o medo ou a apreensão sobre a doença. Seja cauteloso e prudente sem alarmismos;
  • Se você está em isolamento, lembre-se que este cenário que pode te levar ao stress, ansiedade, solidão, frustração, tédio e / ou raiva, juntamente com sentimentos de medo e desesperança, cujos efeitos podem durar ou aparecer mesmo após esse período. Tente ficar ocupado e conectado aos entes queridos;
  • Crie uma rotina diária e aproveite a oportunidade para fazer as coisas que gosta (ler um livro, ver um filme ou série…)

Se você estiver com a doença:

  • Siga todas as dicas anteriores e também:
  • Tenha pensamentos positivos;
  • Não fique desnecessariamente alarmado. Seja realista. A grande maioria das pessoas estão se curando;
  • Quando tiver medo, pense em outras doenças ou momentos difíceis que você já superou na vida e encare isso como mais um momento a vencer.

Referências: https://www.idealista.pt/

Tags: | | | | | | | | | | | | |