Filhos adultos de mães controladoras: Um vínculo tóxico.

Filhos adultos de mães controladoras: Um vínculo tóxico.

O amor materno nem sempre é incondicional. Às vezes essa relação implica em dor, sofrimento e restrições que deixam marcas por toda a vida. Um exemplo disso são, os filhos adultos de mães controladoras. Embora esses filhos sejam maiores de idade e tenham amadurecido, muitos deles ainda mantêm esse vínculo prejudicial e complicado.

Falar sobre mães manipuladoras, narcisistas ou distantes na relação com seus filhos homens ainda causa muita controvérsia nos dias de hoje. O próprio Freud em sua teoria do complexo de Édipo, contribuiu para que nós focássemos apenas na conexão entre pai e filho, deixando a visão mais patológica entre homem e mãe para o mundo do cinema.

O filme Psicose de Alfred Hitchcock, nos dá uma ideia de como as mães controladoras podem ter um impacto significativo na vida de seus filhos.

Abordar mais profundamente esse tema é a única forma de trazer luz a esse tipo de situação que nossa sociedade ignora. Conversar sobre esse problema com pessoas afetadas por um vínculo materno tóxico é um bom começo, afinal, até certo ponto, ainda existem “rédeas” relacionadas ao gênero masculino, ou seja, códigos de masculinidade implícitos que impedem muitos homens de pedirem ajuda.

Como o vínculo tóxico de uma mãe controladora afeta sua vida?

Mãe controladora limpando boca do filho.

De modo geral, os filhos adultos de mães controladoras vivem em um campo de silêncio e conflito constante. Isso se deve, em primeiro lugar, ao peso da nossa cultura e as “normas” sociais onde os meninos são forçados a silenciar suas emoções para mostrar força … e para não serem vistos como “menina”.

Eles, muitas vezes, usam a raiva para encobrir o dano e reagir da única maneira que podem. Portanto, em um mundo onde um homem ainda é equiparado ao ideal de liberdade ou independência, é difícil aceitar que ele carrega o peso de uma mãe controladora, narcisista ou manipuladora.

É claro que sempre existem diferenças individuais, e essas diferenças estão mais relacionadas à personalidade de uma pessoa do que ao gênero. No entanto, existe um padrão que pode identificar sequelas residuais em homens adultos, e não em mulheres adultas, conforme abordaremos abaixo.

Uso repetido de mentira ou da ocultação da verdade.

Homem mentindo.

Crianças que crescem sob a influência de mães controladoras não têm tempo para construir uma identidade forte e autêntica. Portanto, para essas pessoas, um mecanismo de sobrevivência muito repetitivo é o uso de mentiras ou da ocultação da verdade. A princípio, ele faz isso para não decepcionar a mãe e evitar a culpa, mas quando começa a usar esse recurso quando criança, ele aplica o mesmo recurso em qualquer área da vida adulta.

O papel da mentira ou da ocultação da verdade é se proteger, esconder suas emoções, agradar sua mãe e sobreviver a qualquer situação.

Contenção emocional.

Homem em contenção emocional.

Os filhos adultos de mães controladoras costumam ser anulados pela contenção emocional. Como as mães suprimem a energia emocional dos filhos quase desde o início e colocam suas próprias emoções em primeiro lugar, as crianças entendem desde cedo que expressar sentimentos não é apenas vergonhoso, mas também perigoso.

Dessa forma, os homens adultos que ainda vivem sob a influência dessa mãe controladora continuarão a conter suas emoções de maneira expressiva. Em muitos casos, essa contenção das emoções pode levar a distúrbios psicológicos.

Hostilidade.

Homem sendo hostil com namorada.

Uma mãe controladora sempre gera um apego inseguro. Crianças com comportamentos agressivos ou hostis demonstram que elas não foram validadas emocionalmente. Essa é uma característica que geralmente é perceptível entre filhos de mães controladoras.

Dessa forma, uma pessoa que cresceu nessa dinâmica pode mostrar reações de hostilidade desproporcionais em certas situações, podendo perder o controle e reagir com raiva e ignorância. Sua capacidade de lidar com as emoções geralmente é zero ou muito fraca.

Relacionamentos frustrados e autossabotagem.

Mãe frustrando o relacionamento do filho.

As mães controladoras tratam seus filhos como se fossem sua propriedade pessoal. Este vínculo tóxico tem um sério impacto no desenvolvimento emocional das crianças, na maturidade psicológica, na independência e na capacidade de tomar decisões … Uma consequência óbvia é que é difícil estabelecer intimidade e conexão emocional verdadeira em qualquer relacionamento emocional.

Portanto, geralmente a mãe não hesitará em adotar as técnicas mais complexas para evitar que o filho, criança ou adulto, o tente ter seu próprio espaço e estabelecer uma vida independente e feliz com os outros. Eles desenvolvem neuroses, razão pela qual os homens adultos sempre têm dúvidas em suas mentes. Essas dúvidas levam a uma autossabotagem quase sempre constante e que chega ao ponto de frustrar qualquer relacionamento amoroso.

Em suma, é importante destacar um aspecto óbvio. Os homens são menos propensos a procurar ajuda, por isso, eles não recorrem à psicoterapia. Apesar de carregar uma grande dor dentro, sua capacidade de negação é imensa. Portanto, os filhos adultos de mães com forte desejo de controle são um grupo de pessoas que precisam de uma ajuda especial e nossa responsabilidade como sociedade é facilitar isso.

Se você leu esse artigo e se identificou, procure a ajuda de um psicólogo.

Tags: | | | | | | | | | | | | | | | |

Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.