Ícone do site Psicólogo Paulo Alencar

Por que temos ansiedade noturna?

Quando passamos por uma fase de ansiedade noturna, nosso sono pode se tornar terrível. Quando precisamos descansar e atingir as famosas 8 horas de sono, não conseguir adormecer vira um grande problema. Outras vezes, embora consigamos adormecer, o sono não restaura as energias, o que aumenta a turbulência emocional do dia a dia.

É possível que, quando estamos ansiosos, apareça a angústia e o desespero. Isso levará a mudanças em nosso metabolismo durante noite. Portanto, a fadiga aumenta os problemas que estamos enfrentando.

Somos mais vulneráveis ​​em determinadas horas do dia e não há dúvida de que o período noturno é um dos momentos mais comuns por vários motivos. Vamos ver como isso afeta nossa saúde e por quê.

Por que a ansiedade piora à noite?

Na verdade, a noite tem muitas características que podem promover diferentes estados psicológicos de acordo com o ambiente da pessoa. A redução de estímulos externos em todos os níveis sensoriais e sociais nos permite focar em várias sensações físicas e/ou pensamentos. É por isso que a dor, a tensão muscular, a taquicardia e os pensamentos são interpretados de forma mais disfuncionais à noite.

Por exemplo, pessoas com zumbido nos ouvidos têm noites piores quando seu dia teve muitos estímulos externos. Para diminuir esse efeito, geralmente é recomendado que as pessoas ouçam música relaxante em volume baixo, pois isso reduzirá a intensidade do zumbido e ajudará a adormecer e a superar o desconforto causado pelo zumbido.

Por outro lado, devemos também apontar a importância de nossa interpretação do sofrimento emocional noturno. Sendo a noite um espaço social e biológico reservado ao descanso, a impossibilidade de descanso nos fará vivenciar grandes desconfortos.

Da mesma forma, o silêncio e a falta de atividade durante a noite nos farão repensar as coisas que nos dizem respeito. Como a noite é um período em que tendemos a descansar e não fazer nada, como não estamos resolvendo problemas ou fazendo alguma tarefa, o máximo que conseguimos fazer é ruminar os pensamentos sobre os acontecimentos do dia ou sobre possibilidades futuras. É isso que nos conduzirá, sem dúvida, por um caminho cheio de incertezas e ansiedades.

Desse modo, ficar ruminando os pensamentos e pensando em problemas é algo nos prende em uma espiral de sofrimento.  Assim, acabamos analisando excessivamente a realidade psicológica e criando cenários que podem ter pouco a ver com o que aconteceu ou com o que acontecerá.

A ansiedade noturna pode ser causa e o resultado de distúrbios do sono.

Nosso sono é frequentemente interrompido por episódios de desconforto, despertares frequentes e ansiedade. Isso é extremamente prejudicial. Na verdade, um estudo conduzido na Universidade Johns Hopkins em Baltimore mostra que a interrupção do sono é muito perigosa para o nosso humor, porque os estágios do sono também mudam.

Não nos esqueçamos de que, para que ocorra um ciclo físico e mental completo, nosso sistema de regulação deve completar uma série de ciclos de sono,  passando pelas fases REM e não REM. A fase REM é uma das mais importantes, pois quando o indivíduo por alguma razão não passa por essa fase no sono, o corpo tenta compensar essa falta em sonos futuros. Ou Seja, não dormimos bem porque nos sentimos mal e nos sentimos mal  porque não dormimos bem.

O que está por trás da ansiedade noturna?

Normalmente, quando investigamos por que uma pessoa se sente ansiosa à noite, descobrimos que existe uma questão emocional ligada a algo que não foi resolvido ou que foi resolvido, mas não da forma esperada. Já os sonhos são elaborações mentais produzidas para digerir ou recuperar nossa mente das vivências imperfeitas ou problemáticas do dia a dia.

Se as coisas que temos que filtrar, digerir ou elaborar possuírem grande carga emocional, esse tipo de elaboração mental noturna será mais pesada e difícil de processar. Portanto, nosso descanso será prejudicado. A tendencia nesse caso é irmos dormir tarde ou acordamos cedo, termo o sono interrompido durante a noite, termos pesadelos, terrores noturnos ou sonhos repetidos.

Isso tem um efeito ruim em nosso estado mental, complicando a nossa capacidade de lidar com os desafios diários e gerando medo do que vai acontecer na noite seguinte. Esse medo leva ao surgimento de pensamentos disfuncionais, a partir dos quais construímos uma realidade catastrófica cheia de sensações físicas ruins e comportamentos compensatórios negativos.

Recomendações para reduzir a ansiedade noturna.

Para diminuir a ansiedade noturna, é preciso saber que a reconciliação com a noite e o sono é um processo que nos obriga a avaliar os fatores que nos afetam. Além disso, outras coisas a serem consideradas são as seguintes:

O sono e o descanso são os mecanismos do corpo que nos permitem regular nossos sistemas físico e mental. Presumindo que seja uma reinicialização, isso pode ajudar tudo a funcionar corretamente. Por esse motivo, o questões emocionais que não resolvemos durante o dia podem aparecer na forma de ansiedade noturna.

Não nos esqueçamos de que resolver problemas na cama pode ter efeitos devastadores, por isso é essencial controlá-los psicologicamente.

Sair da versão mobile