O que é síndrome de burnout?

O que é síndrome de burnout?

Também conhecida como síndrome da estafa profissional, a síndrome de burnout é um distúrbio psíquico de caráter depressivo caracterizado pelo esgotamento físico e  mental. Esse esgotamento prolongado costuma estar relacionado ao trabalho,  muito comum em profissionais que têm que lidar com pressão e responsabilidade constante.

A sobrecarga de trabalho por longos períodos, leva a uma fadiga do sistema nervoso e isso reflete no corpo através de sintomas psicossomáticos, ou seja, sintomas físicos originários de uma condição mental.

Burnout significa em sua tradução literal, algo como “queimado por completo”, mas podemos entender também como “esgotado”, palavra que descreve a forma como o paciente sente e que, muitas vezes, pode levar a faltas no trabalho, alcoolismo, drogas e, em casos raros, contribuir com a intenção de suicídio.

Sintomas

Alguns dos sinais e sintomas que ajudam a identificar se você está sofrendo com a síndrome de burnout  incluem:

  • Sensação constante de negatividade, como se nada fosse dar certo;
  • Cansaço físico e mental constante e excessivo;
  • Falta de vontade para fazer atividades sociais ou estar com outras pessoas;
  • Dificuldade para se concentrar no trabalho ou tarefas diárias;
  • Falta de energia para manter hábitos saudáveis, como ir na academia ou ter um sono regular;
  • Sentimento de que não se está fazendo o suficiente dentro e fora do trabalho;
  • Dificuldade para gostar das mesmas coisas que se gostava anteriormente;
  • Colocar as necessidades dos outros à frente das próprias;
  • Alterações repentinas de humor, com muitos períodos de irritação;
  • Isolamento de pessoas significativas, como amigos e familiares.

Outros sinais comuns da síndrome de burnout incluem a demora no tempo de realização de alguma terefa profissional, faltas e atrasos constantes ao trabalho, e também a falta de prazer durante o período de férias e a sensação de cansaço quando o período de férias termina e a pessoa retorna à rotina do trabalho.

Embora os sintomas mais comuns sejam psicológicos, pessoas que estão sofrendo com síndrome de burnout também podem sofrer frequentemente com dores de cabeça, palpitações, tonturas, problemas de sono, dores musculares e até resfriados, por exemplo.

Causas

As causas exatas  da síndrome de burnout  ainda não são conhecidas, mas sabe-se que ele está ligado à sobrecarga cognitiva. Apesar de poder ser causada por situações de estresse prolongado e excessivo em geral, como problemas familiares em que há uma grande tensão, a incidência ainda é mais relacionada ao trabalho.

A síndrome de burnout também é muito comum em profissionais da saúde assim como em profissionais que lidam com o público, como professores e policiais. Pessoas em cargos de chefia que geralmente tomam muitas decisões também estão mais propícias a serem afetadas pela síndrome de burnout.

Apesar de a probabilidade ser maior nessas áreas, o problema pode afetar profissionais em qualquer área.

Tratamento

Asíndrome de burnout tem cura e durante seu tratamento podem ser receitadas medicações para aliviar os sintomas, como antidepressivos. A licença temporária do trabalho e psicoterapia também são meios importantes para se obter melhora.

Licença temporária

Não é necessário pedir demissão para tratar a síndrome de burnout, visto que é possível obter uma licença temporária para que o problema seja tratado. Uma mudança de ambiente é necessária para descansar a mente e aprender a lidar melhor com a rotina.

Entretanto, estar em uma empresa que cobra e coloca muita pressão nos funcionários deve ser repensado, visto que relações trabalhistas abusivas são tóxicas à saúde e podem colaborar com a estafa profissional.

Psicoterapia

Buscar ajuda de um psicólogo é outra forma extremamente válida de se livrar daestafa profissional e, até mesmo, preveni-la. As sessões de psicoterapia ajudam a pessoa a obter disciplina mental, aprender a relaxar, colocar limites nas tarefas e não se cobrar tanto.

Prevenção

A mudança no estilo de vida é o primeiro passo para evitar a síndrome de burnout. A mudança tem de começar no ambiente de trabalho, não respondendo e-mails fora do expediente, tendo disciplina mental e evitando a sobrecarga e a realização de muitas tarefas simultaneamente, pois isso causa sofrimento ao sistema nervoso.

Buscar um ambiente de trabalho saudável, em que não haja clima e relacionamentos abusivos também é importante, assim como manter uma vida equilibrada, com alimentação adequada e prática de atividades físicas.

Dicas para prevenir a síndrome de burnout
  • Abandone o lema “Meu nome é trabalho”. Não coloque todos os ovos numa cesta só. Diversifique as fontes de gratificação e descubra seus hábitos de prazer. Leia mais, vá ao cinema, curta os amigos e os pets.
  • Faça uma avaliação sobre custo e benefício: o que a atraiu nesse emprego e a mantém aí? A possibilidade de ajudar as pessoas?
  • O salário? Seja qual for a motivação, focalize no que é positivo em vez de olhar os aspectos negativos que, em geral, são muitos.
  • Restabeleça contatos profissionais. Faça networking, procure novas chances no mercado ou em outro setor da empresa se o que você faz, no momento, significa exaustão.
  • Atenção aos sinais emitidos por seu corpo. A exaustão pode ser sintoma de várias doenças, de anemia a distúrbios da tireoide. Na dúvida, consulte um médico. Se for stress, procure desacelerar o ritmo e faça uma coisa de cada vez.
  • Cuide de seu estilo de vida. Alimente- -se bem, em horários regulares, sem exagerar no álcool e na cafeína. Durma o necessário para acordar reanimada.
  • Inclua exercícios físicos na rotina. Eles ativam a circulação, estimulam o metabolismo, energizam e ajudam a administrar o stress.
  • Conte com o apoio da família, dos amigos e de um profissional.

*Os textos do site são informativos e não substituem o atendimento realizado por profissionais.

Tags: | | | | | |

Abrir
Entre em contato e agende uma avaliação inicial presencial ou online, será um prazer recebê-lo(a).

Whatsapp +55 (11) 99735-1268
Powered by